Abrindo a nova trilogia de Star Wars, agora sob a batuta do atual queridinho de Hollywood, J.J. Abrams, O Despertar da Força mostrou a que veio e abalou os rankings históricos do Cinema. Por André Cavallini

Já disponível na versão VOD desde o começo de abril e chegando ao home vídeo no dia 21 do referido mês, Star Wars: O Despertar da Força, distribuído mundialmente pela Disney, estreou nos cinemas nacionais em 17 de dezembro e rapidamente encontrou seu espaço entre os 10 longas mais vistos do ano por aqui, apenas contando o que a produção arrecadou durante o ano de 2015: R$ 61,7 milhões para um público de 3,78 milhões de espectadores – o oitavo lugar do ranking final. Em 2016, o filme somou mais cerca de R$ 37 milhões e ocupa até o momento o sexto lugar do top 10 do ano. Isso apenas no Brasil. Olhando mais adiante das nossas fronteiras, O Despertar da Força arrebentou ainda mais, desbancando o quase mitológico Avatar, de James Cameron, nos EUA e abocanhando o primeiro lugar histórico no país, com mais de US$ 935 milhões arrecadados no Box Office. Em termos mundiais, o novo Star Wars não chegou ao topo, mas ameaçou os primeiros colocados, Avatar e Titanic, com mais de US$ 2 bilhões em bilheterias ao redor do mundo – sagrando-se o novo medalha de bronze internacional de todos os tempos. Sem entrar ainda mais nesse mérito, a mais recente adição à franquia criada por George Lucas também conquistou os títulos de melhor abertura de todos os tempos nos EUA e mundialmente, é o filme da saga mais visto até hoje, o campeão de arrecadação história entre os lançamentos em 3D e também em IMAX... A lista é longa.

Dificilmente encontraremos alguma pessoa que não assistiu a O Despertar da Força ou que não tenha ainda ouvido falar dele. Seria chover no molhado repetir a história que já conhecemos de tantos trailers e vídeos espalhados pela internet? Bom, em poucas palavras, o sétimo filme de Star Wars se passa 30 anos depois dos eventos do Episódio VI, mais conhecido como O Retorno de Jedi. A Aliança Rebelde conseguiu sobreviver a Darth Vader e destruir a Estrela da Morte, libertando a República e se estabelecendo como a Resistência. Todavia, Luke Skywalker, o último jedi, partiu para o exílio e sumiu do mapa. Com o retorno dos membros do Império na forma da Primeira Ordem, comandados pelo Supremo Lider Snoke, faz-se necessário que Luke volte e ajude a lutar não só contra a Ordem, mas também contra Snorke e seu pupilo, Kylo Ren, que domina o lado negro da força muito bem.

A Resistência envia seu melhor piloto, Poe Dameron, em uma missão ao planeta Jakku, onde ele consegue o mapa da presente localização de Skywalker, mas Poe acaba capturado quando Ren invade o planeta e destrói o lugar. Antes de ser encontrado, o piloto esconde o mapa com um pequeno robô, BB8, que acaba sendo encontrado por uma garota simples chamada Rey, uma catadora de sucada que vive por ali. Com a ajuda de um stormtrooper traidor, Poe escapa do confinamento e parte de volta para Jakku para recuperar BB8. Na fuga, sua nave é abatida e tanto Poe quanto o traidor, chamado Finn, se ferem na queda. Poe desaparece e Finn parte em busca do robô. É quando os caminhos dele e de Rey se cruzam e os dois partem para uma jornada repleta de aventuras para levar o BB8 ao encontro da Resistência. Ao longo desse percurso, os dois fogem do planeta à bordo da Millenium Falcon e encontram ninguém menos que Han Solo e Chewbacca em pleno espaço... Enfim, tem muita coisa acontecendo em O Despertar da Força.

Para concluir esse texto e não revelar muito da história a quem não vi ainda o filme, a trama é muito bem construída, consegue recuperar aquele ar de aventura e ficção científica que os primeiros três filmes da saga Star Wars trouxeram e que, na minha opinião, a trilogia seguinte, contando os Episódios de I a III da saga, não conseguiu. Muito disso se deu na renovação nos bastidores, num movimento inteligente de trazer para o projeto J.J. Abrams, que há pouco revitalizou outro clássico sci-fi, Star Trek, e também a franquia Missão: Impossível no cinema. Outra escolha acertada foi mesclar novatos e veteranos no elenco, que trouxe de volta Harrison Ford, Mark Hammil e Carrie Fisher em seus papéis originais, para trabalhar ao lado de estreantes como Daisy Ridley, John Boyega, Oscar Isaac e Adam Driver completanto o time de protagonistas, sem falar no grande Andy Serkis no papel de Snoke. No fim das contas, O Despertar da Força não decepciona e acaba abrindo a porta para, não só os novos filmes da trilogia, como também para outros derivados de Star Wars, como Rogue One, que estreia em dezembro e faz parte desse universo que recomeça a se expandir. 

Veja Também

IMAGE
Estopinha e Barthô, sucesso nas redes sociais, onde...
IMAGE
(The Gift) Gênero: Suspense – Origem: EUA/2015 –...
IMAGE
Sucesso absoluto nos cinemas, Deadpool chega ao home vídeo...