Depois de fazer sucesso nos cinemas, não só no Brasil, e ser premiado internacionalmente, filme de Daniel Ribeiro chegou ao home vídeo de forma inovadora em 2014 e agora tem novo lançamento, desta vez com tudo o que o público tem direito

Totalmente realizado com verbas de editais e com distribuição independente nos cinemas nacionais (Vitrine Filmes), o longa Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, do cineasta Daniel Ribeiro, que produziu (através da Lacuna Filmes), roteirizou e dirigiu o filme, fez uma excelente carreira em sua janela cinematográfica, foi escolhido pelo Ministério da Cultura para ser o candidato brasileiro para brigar por uma vaga na disputa do Oscar® de Melhor Filme Estrangeiro na premiação de 2015. 

O filme trata de um drama típico da adolescência, o primeiro grande amor, e tudo o que envolve essa fase de descobertas, como o primeiro beijos, sexo, amizades, ciúme, além de abordar o bullying dentro do ambiente escolar. Só que o caminho que Ribeiro escolhe para contar essa história é um pouco diferente e coloca como personagens principais da trama dois adolescentes, Leonardo (Ghilherme Logo) e Gabriel (Fabio Audi), que começam uma amizade que depois evolui para uma paixão. O filme possui momentos cômicos e também dramáticos, tudo filmado com delicadeza e cuidado. “Eu fico sempre pensando como o consumidor e tudo o que fizemos com esse filme até agora foi feito comigo pensando como consumidor, como o espectador. Fiz esse filme para o meu ‘eu’ de 16 anos – pensando no que eu, com 16 anos, gostaria de ver num filme, o que era um bom filme para mim quando tinha essa idade, que tipo de história faria diferença na minha vida, seria marcante e importaria”, explicou Ribeiro, em entrevista exclusiva a Ver Video & Games.

Na trama do longa, há um fator complicador para os protagonistas. Leonardo é deficiente visual. O jovem tem em sua melhor amiga, Giovanna (Tess Amorim), seus olhos e um grande apoio em todas as horas. Apesar de ter que lidar com brincadeiras nada agradáveis de alguns colegas, algo que ele encara de forma bem-humorada, Leonardo está mais preocupado com o fato de que nem ele, nem Giovanna terem beijado alguém. Gabriel entra na história e abala a relação dos amigos, já que ambos se interessam por ele. Com o passar dos dias, Leonardo e Gabriel vão se aproximando e Giovanna sente que, além de não conquistar o novo garoto, está se distanciando do melhor amigo, já que os dois rapazes passam mais tempo juntos, seja em projetos escolares ou em idas ao cinema, por exemplo. A relação de Leonardo e Gabriel evolui e eles descobrem que estão apaixonados, contando com o apoio de Giovanna.
Antes do longa-metragem, em 2010, Daniel rodou um curta contando essa história. A produção, chamada Não Quero Voltar Sozinho, contou com o mesmo elenco e também foi financiado por verbas vindas de editais. De acordo com Ribeiro, a ideia de ambas produções teve a mesma origem e, antes mesmo de virar o curta, já estava sendo pensada para um longa. O curta foi uma forma de colocar para fora a ideia e ver como seria sua execução e a resposta do público. E a resposta foi o sucesso. O trabalho passou por diversos festivais e se consagrou no Festival de Paulínia, onde conquistou nada menos que quatro prêmios. Não Quero Voltar Sozinho tem em sua carreira mais de 40 prêmios nacionais e mais de 20 internacionais.

A história do amor adolescente é contada de forma sensível pelo diretor, que obteve em sua jornada com o longa-metragem pelos festivais internacionais grande aceitação e consagração, conquistando prêmios importantes e inéditos para o cinema nacional, como Melhor Filme da Mostra Panorama do Festival de Berlim, Melhor Filme – Prêmio do Público no Festival Internacional de Cinema de Guadalajara e Melhor Filme no Festival de Atenas. Em termos de público, o filme, que estreou nacionalmente em 28 de março de 2014, faturou, segundo o portal internacional Box Office Mojo, mais de US$ 1,1 milhão, sendo que esteve em cartaz não só no Brasil – por onde passou por 33 salas, em 18 estados – como também nos EUA, França e Hong Kong. Segundo informações publicadas pelo site UOL no ano passado, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho arrecado no Brasil cerca de R$ 2,3 milhões, para um público de mais de 190 mil espectadores.

Alguns meses depois, com sua carreira na janela de cinema encerrada, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho chegou ao home vídeo. Entretanto, seu lançamento aconteceu de forma diferenciada, ainda independente de distribuidoras, administrado por Daniel Ribeiro em sua produtora, a Lacuna Filmes. Para lançado o filme em um mercado difícil para os independentes, já que muito do que se poderia lucrar é tomado pela pirataria, a solução foi baixar o preço de venda ao mínimo possível. “O que me faz ir ao cinema, qual seria o preço justo que eu gostaria de pagar? Quanto eu pagaria em um DVD que eu gostaria de comprar? A minha experiência como consumidor é o meu ponto de partida sempre”, conta Daniel, que parte do ponto de que as pessoas que gostariam de assistir ao seu filme poderiam não ter tido a oportunidade por motivos como preço do ingresso, não haver sala exibindo o longa na região, entre outros. Ele também considerou os costumes de pessoas ao seu redor, amigos e conhecidos que consomem conteúdo de diversas formas, desde indo ao cinema, até quem compra DVD – original ou pirata – e baixa filmes pela internet. “Acredito que quem compra um DVD pirata é porque algum motivo para isso tem: pela falta do filme em cartaz em sua cidade, pelo custo muito alto do ingresso, pela demora do filme para sair em DVD original, por não ter acesso às plataformas legais digitais ou por não querer investir ‘R$ 40’ em um filme que sequer já viu e pode não gostar. Lançar nosso filme em DVD seria levar nosso trabalho para essas pessoas que queriam ver o filme, mas não tinham como assisti-lo, preencher esse espaço, só que levamos mais de um ano para lançar o Blu-ray”, relata o cineasta.

Ribeiro queria que seu filme chegasse ao maior número de pessoas possível e precisava fazer isso rapidamente, e a forma que encontrou foi criar o DVD Pirata Oficial, como eles mesmos o batizaram. Com o menor custo possível, chegou-se ao valor de venda de R$ 10. Para chegar a esse valor, o DVD não foi autorado como de costume, não possui extras, menus e opções de som e legendas – colocou-se o filme dentro do disco e pronto – como se fosse um disco promocional (N.E.: Como discos enviados à imprensa, por exemplo). A arte também é a mais simples possível, tendo Ribeiro deixado de lado a caixinha amaray e o rótulo em papel, e usado um envelope com a arte do pôster para acondicionar o disco, que tem a mesma arte impressa nele. As vendas foram feitas diretamente no site da produtora, com boa divulgação nas redes sociais. “Para mim, esse DVD tinha essa função, preencher esse espaço que pensamos ter um buraco, nesse mercado”, finaliza Daniel.

O resultado das vendas foi bom, porém, ao longo do percurso algumas dificuldades foram encontradas, como os impostos – de acordo com o diretor, não houve lucro. “Mas cumprimos nosso objetivo, que era chegar às pessoas que querem assistir ao filme, ter o DVD ali e não querem pagar muito por isso”, diz Daniel, que também indicou que o frete foi algo que surpreendeu de forma negativa, já que isso encarecia muito o preço final do DVD e nem sempre compensava para o consumidor. “O comprador paga R$ 10 no DVD, só que ele mora no Acre e só o envio custaria R$ 25... Não sei se compensaria para ele”, expõe o diretor.

Quase um ano depois do lançamento do DVD Pirata Oficial, chega a vez do conteúdo “oficial” chegar às prateleiras. A distribuidora que se encarregou dessa tarefa é a Imovision, que trouxe para o home vídeo não só o DVD, como também o Blu-ray. De acordo com Daniel, trata-se de uma edição feita para integrar a coleção, com muitos extras, incluindo materiais produzidos especialmente para entrar nessa edição mais completa do filme. “Muitas vezes, compro um DVD por que eu gosto, nem sempre é para ver o filme, eu já teria visto o filme antes, mas para ter ele, é uma coisa de colecionador mesmo – a pessoa compra por que gosta, tem os Extras e tudo o mais”, diz Ribeiro. E Hoje Eu Quero Voltar Sozinho tem bastante material adicional, produzido especialmente para a versão completa, incluindo making of e muito mais (confira o box nesta matéria). “Como já tínhamos lançado a versão ‘pirata oficial’ em DVD, tivemos um tempo para produzir esse conteúdo. Queríamos fazer isso com calma para fazermos direito, uma versão legal para as pessoas quererem ter o filme na prateleira”, afirma do cineasta.

O lançamento do DVD e do Blu-ray de Hoje Eu Quero Voltar Sozinho tem tratamento diferenciado pela Imovision, que planeja realizar algumas ações para a data de chegada do filme ao mercado doméstico – estima-se que o filme estará nas prateleiras nacionais no dia 12 de junho, o Dia dos Namorados, e que ao menos um evento reunindo diretor e elenco seja realizado, como uma noite de autógrafos, na capital paulista. Até o fechamento desta edição, ainda não estavam fechados os planos para eventos. Acompanhe nossas próximas edições para saber como o DVD e o Blu-ray do filme chegaram ao home vídeo.


Ficha Técnica – Blu-ray e DVD
Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
(Idem, Brasil/2014) Gênero: Drama, Romance; Duração: 96min; Distribuição: Imovision; Entrega: 11/06/2015; Classificação: Não recomendado para menores de 12 (doze) anos – Contém: Conteúdo Sexual, Drogas Lícitas e Linguagem Imprópria; Tema: Adolescência

Formato da Tela: 16:9 Letterbox; Áudios do filme: Português 5.1, Audiodescrição, Comentários Daniel Ribeiro, Ghilherme Lobo e Fabio Audi; Legendas do filme: Português, Espanhol e Inglês; Cor: Colorido

Extras: Making of Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (33min29s), Nos bastidores de Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (9min40s), Cenas Cortadas (16min25s), Trailer Acessível (Com audiodescrição, libras e legendas) (2min43s), Testes de Elenco: Ghilherme Lobo (1min41s), Ghilherme Lobo e Fabio Audi (1min43s), Improviso Ghilherme Lobo, Fabio Audi e Tess Amorim para o curta Eu Não Quero Voltar Sozinho (5min37s), Isabela Guasco e Pedro Carvalho (2min48s)

Curta: Eu Não Quero Voltar Sozinho (17 min 12 seg)
- Legendas: Português, Inglês, Espanhol
- Acessibilidade: Audiodescrição
- Final Alternativo (1 min 11 seg)
Curta: Café com Leite (18 min 14 seg)
- Legendas Português, Inglês, Espanhol 

Entrevista concedida a André Cavallini e publicada na edição 263 de VER VIDEO & GAMES

Clique aqui e leia também materia especial do filme

Veja Também

IMAGE
(90 Minutes in Heaven) Gênero: Drama – Origem: EUA/2016...
IMAGE
(Suits Season 4) Gênero: Série de TV – Origem: EUA/2013...
IMAGE
Para entrar de vez na onda do novo filme de Star Wars, o...