Maior site de streaming ilegal da América Latina, o Mega Filmes HD finalmente caiu após operação da Polícia Federal

Em novembro, a pirataria online entrou no foco da mídia nacional com a derrubada do portal ilegal Mega Filmes HD e a prisão de seus dois proprietários, o casal Marcos e Thalita Cardoso, pela Polícia Federal, em uma ação batizada Operação Barba Negra. Além da dupla, outras cinco foram levadas para prestar depoimento na delegacia – as contas bancárias de todos os investigados foram bloqueadas para verificação. A ação aconteceu em três cidades, Cerquilho e Campinas, no estado de São Paulo, e Ipatinga, em Minas Gerais, e contou com quatro mandados de busca e apreensão. Segundo a Polícia Federal, o Mega Filmes HD era o maior da América Latina na distribuição deste tipo de conteúdo, tendo mais de 150 mil títulos em seu acervo, entre filmes e seriados, além de shows.

Assim como acontece com praticamente todos os sites e blogs que veiculam conteúdo pirateado, os anúncios contidos nas páginas e nos bloqueadores de links são uma grande fonte de renda. De acordo com os investigadores, o casal preso chegou a lucrar R$ 70 mil por mês só com publicidade – considerando apenas a página do Facebook do site, dá para se ter uma ideia da abrangência de seu conteúdo: mais de 4,5 milhões de curtidas no perfil. A estimativa dada pela polícia é de que o portal tinha mais de 60 milhões de visitas por mês, sendo 85% diretamente do Brasil, e o restante de outros países, como Portugal e Japão.

Marcos e Thalita Cardoso ficaram presos por 10 dias e negaram, ao longo de diversas entrevistas e notícias que circularam pela imprensa, ter conhecimento da gravidade do delito que cometeram e que isso sequer fosse crime – Marcos alegou desconhecer uma legislação que abrangesse tal tipo de conteúdo em vigor no Brasil. Fato é que a dupla está sendo considerada suspeita de dois crimes: organização criminosa (3 a 8 anos de pena, e multa) e violação de direitos autorais (2 a 4 anos de pena, e multa). Segundo notícia publicada pelo Canal Tech (leia aqui), baseada em entrevita de Marcos para o site Motherboard, ele explica que a ideia do site surgiu como um passatempo. Após ter morado por 14 anos no Japão, onde ele assistia a filmes e série online, ele decidiu fazer algo do gênero por aqui. Assim, depois de ter retornado ao Brasil, em novembro de 2010, ele começou a trabalhar na página, mas ainda como um hobby. Cardoso ainda declarou assinar a Netflix. 

 

Em reportagem do portal Olhar Digital, realizada no último dia do Expocine 2015, evento que reuniu executivos da  indústria cinematográfica brasileira, Ygor Valerio, vice-presidente jurídico da divisão latino-americana da MPA e idealizador de uma iniciativa chamada 4C, ou a "Coalização do Cinema Contra o Camcording", falou a respeito do Mega Filmes HD. Como esperado, todos repudiaram a atividade ilegal do site e se mostraram satisfeitos com a operação realizada pela Polícia Federal (leia entrevista do executivo para o Olhar Digital aqui) . Enquanto a indústria cinematográfica aplaudiu a ação e o andamento do caso, os usuários do “serviço” prestado pelo portal fechado mobilizaram simpatizantes ao casal Cardoso. A iniciativa partiu do Partido Pirata no Brasil, que iniciou uma petição no portal Avaaz.org (site voltado para abaixos assinados) recolhendo assinaturas pedindo pela libertação do casal (que ainda estava preso à época do ato), reunindo mais de 3,5 mil assinaturas. A alegação dos criadores do abaixo assinado era a de que a pirataria não deveria ser tratada como crime e que há outras coisas mais importantes para ocuparem a polícia e as autoridades, como os acontecimentos em Mariana (MG) e afins.

 
 
 

Veja Também

IMAGE
A Paris Filmes acaba de confirmar Petrônio Gontijo no...
IMAGE
Depois de uma campanha liderada pelo ator Paulo Gustavo, a...
IMAGE
Confira abaixo os 10 filmes mais vistos* nos EUA de 27 a 29...